casal rindo

10 casos que brinquedos sexuais foram parar na justiça

O mercado erótico não para de crescer, surgem diversos novos brinquedos sexuais e estes são cada vez mais realísticos para a felicidade de muitos, mas parece que nem todo mundo entendeu exatamente para que eles são feitos, então listarei alguns dos casos de pessoas que ainda estão meio confusas com o que fazer com os objetos que ganharam ou compraram no sex shop.

1. O pênis de borracha disciplinador

DILDO

Uma empresa brasileira tinha o costume – um tanto estranho – de punir e “educar” seus funcionários batendo com um pênis de borracha em suas costas, até que certa vez um motorista de caminhão da empresa não aguentou a humilhação e entrou na justiça por danos morais, a ação resultou em uma indenização de 35 mil reais.

2. Parece, mas não é. Enganada por uma cinta peniana (strapon)

Uma mãe solteira da Inglaterra entrou na Justiça depois de descobrir que seu namorado era na realidade uma mulher! O rapaz transexual conheceu a “vítima” no Facebook e por um tempo eles mantiveram o relacionamento online, até que marcaram um encontro. O rapaz foi ao encontro utilizando jaqueta e boné para disfarçar e após um tempo de conversa, o casal foi para cama e com as luzes apagadas fizeram sexo com o rapaz utilizando um strapon sem que a “vítima” soubesse. A mulher descobriu a trama somente quando lhe contaram que na realidade o rapaz trabalhava no McDonald’s com sua verdadeira identidade feminina.

3. Aqui o chicote estrala!

Um gerente de um banco (talvez acostumado com seus hábitos domésticos) resolveu levar para o trabalho a prática de submissão e dominação. Utilizando um chicote, o gerente aplicava seu fetiche nos funcionários para cobrar maior produção, até que um dos empregados entrou com um processo na justiça. O gerente insistente, mesmo com o empregado afastado, ligava constantemente para tentar convencê-lo a voltar. O processo ainda não tem desfecho.

4. Presente surpresa

presente

Um engenheiro encarregado, durante um evento da construtora, reuniu todos os operários da obra e informou que entregaria um prêmio para um funcionário exemplar, anunciou para todos que se tratava de um celular e chamou um simples pedreiro para receber o prêmio, no entanto, quando o presente foi aberto, ele percebeu que se tratava de um pênis de borracha! Não preciso nem dizer que a gozação foi geral e que durou muito tempo, certo? E também nem preciso dizer o resultado para o engenheiro, certo? Danos morais!

5. Vaginas de borracha, aqui não pode!

Na Turquia, um jovem empreendedor resolveu abrir um sex shop, depois de importar diversos produtos eróticos o jovem começou a divulgação, entretanto, por ter postado fotos de uma vagina realística de borracha, o empreendedor teve de responder por um crime que poderia lhe render 3 anos de cadeia. Por fim, o caso foi fechado por que o juiz “examinou por si só” o produto, ao invés de chamar um especialista! Dá para acreditar numa coisa dessas? Ainda bem que aqui é liberado, confira o sex shop Aquelas Coisas.

6. Pênis no gramado

Durante um jogo de futebol entre Tranmere Rovers e Wrexham (times da Inglaterra) um dos torcedores se empolgou demais e jogou no gramado um pênis de borracha, o goleiro Scott Davis do Tranmere, espantado e meio sem jeito, foi obrigado a retirar o objeto. Após o jogo a polícia local confirmou que prendeu o torcedor e agora ele terá que responder criminalmente pelos seus atos.

7. Vibrador contra o excesso de peso

Um médico americano foi acusado por pacientes de assédio sexual, durante “sessões de massagem” para queimar calorias. Segundo as pacientes, o médico utilizava um vibrador e dizia que um orgasmo queimaria em média 200 calorias. Além de tamanho absurdo, para outras pacientes o “médico” chegou a oferecer serviços extras para uma queima de calorias “mais intensa”. O médico pagou fiança de 100 mil dólares e responde em liberdade.

8. Ciúme de brinquedos eróticos

ciumes

Na Flórida um homem foi preso após uma discussão com sua ex-esposa devido ao uso de brinquedos eróticos! O homem que passaria a noite na casa da ex para leva-la ao trabalho no dia seguinte, se enfureceu ao perceber os brinquedos e começou a acusa-la de traição. Daí para frente rolaram torções de braços, gritos e celulares quebrados, uma verdadeira loucura, até a polícia chegar ao local.

9. Médico vendedor

Mais um “médico” nos Estados Unidos achou que a profissão teria tudo a ver com brinquedos eróticos. Este na realidade nem médico era, mas se passava por, e dizia ter a cura para diversas DST’s incuráveis. Foi descoberto depois que o grande charlatão na realidade era ator pornô e vendia brinquedos eróticos. Sim, ele está preso.

10. O famoso “Juscelino”

Mais um caso no Brasil envolvendo um pênis de borracha, desta vez uma empresa usava “técnicas alternativas” para batismo dos novos vendedores e “brincadeiras motivacionais” para quem não atingisse as metas. Uma delas consistia em obrigar os empregados a dançar na “boquinha da garrafa” com famoso “Juscelino” (um pênis de borracha). Certa vez seguraram um empregado e com tapas na bunda do supervisor, chegaram a encostar o Juscelino em seu ânus. Juro que se eu não tivesse visto no site da Justiça Brasileira, eu não acreditaria nessa história!

10 casos que brinquedos sexuais foram parar na justiça was last modified: dezembro 16th, 2015 by Aquelas Coisas
Category : Geral
Tags :