Depois dos 50 tons de cinza: como iniciar no Sadomasoquismo?

A qualidade do filme é discutível, assim como os valores existentes por trás dele, mas uma coisa é inquestionável: muita gente saiu do cinema curiosa após assistir 50 Tons de Cinza. O mesmo vale para quem assistiu “Amizade Dolorida”, série recentemente lançada pela Netflix. Mas da curiosidade para a ação há uma distância grande, certo? Bom, isso depende da vontade do interlocutor. Iniciar no sadomasoquismo pode parecer uma coisa intensa e assustadora, mas pode ter certeza de que o caminho é bem mais tranquilo do que você imagina. Se a curiosidade já começou a virar interesse não pare agora, o papo está só começando.

Informe-se e não julgue

A primeira grande dica é: esqueça o cinema. Seja nas produções supracitadas ou em quaisquer outras, o retrato que uma ficção pinta sobre o sadomasoquismo não pode ser sua fonte de informação sobre a realidade da prática. Pesquise comunidades sobre o assunto, leia textos de praticantes e de especialistas, converse com algum conhecido que já testou. Não deixe de saber o máximo sobre o assunto antes de começar a agir.

ACOMPANHE NOSSO BLOG E RECEBA CUPONS DE DESCONTO E PROMOÇÕES

Além disso, aproveite seu acesso à informação, seu interesse e sua quebra de tabus para fazer algo que todos já deveriam fazer: respeitar. Praticar sadomasoquismo, como tantas outras coisas, é uma escolha que apenas diz respeito ao praticante, portanto não faz sentido olhar para isso com qualquer tipo de reprova ou ressalva. Não julgue os outros e nem a si mesmo. Pode ter certeza de que aceitar isso como algo comum já te aproximará muito mais de realizar seu desejo.

Curta as preparações

Você deve estar há algum tempo pensando em iniciar no sadomasoquismo, então a ansiedade e a empolgação devem bater forte à porta. Aproveite esse momento. Você pode precisar comprar acessórios, escolher um local para ir ou pessoas para receber, marcar uma data… não deixe que tudo isso seja motivo para angústia e ansiedade, mas para diversão. É claro que o começo também pode ser mais simples, com uma pequena atitude numa relação do dia a dia, mas ainda assim há um processo prévio e encontrar a graça dele pode ser uma forma de suavizar esse momento.

Sadomasoquismo é paciência

Se você decidiu que vai mesmo iniciar no sadomasoquismo, tenha em mente que não há espaço para pressa nesse mundo. Nas preparações, não deixe de comprar o item certo, pesquisar, ou conversar sobre detalhes só porque amanhã há uma boa oportunidade. Uma experiência bem planejada tem tudo para corresponder mais às suas expectativas.

No momento da prática, a paciência é ainda mais importante. Sadomasoquismo não se trata de entrar em um quarto e resolver logo as coisas. A grande graça aqui é explorar as sensações e os sentimentos ao máximo e a melhor forma de fazer isso é ir devagar. Use toques lentos e sutis, dedique tempo a apreciar os detalhes de roupas e ambiente quando eles existirem, enfim, aproveite para viver a fundo todo o jogo que faz parte desse momento.

Comece soft

Outra dica que pode ser interessante é não querer começar com as coisas mais hard core de todos os tempos. Fantasias e cenários podem ser impactantes demais e exagerar na dor ou na submissão pode te passar uma noção errada dos limites que podem ser explorados (ou até mesmo ser perigoso). Que tal começar em sua casa, com uma parceira(o) comum, ou numa relação sexual mais padrão? Experimente amarrar ou ser amarrado, vendar os olhos, intensificar um pouco o limite de dor a que vocês podem se submeter, há várias opções. Lembre-se que o sadomasoquismo se baseia antes de mais nada na provocação e no teste de limites, você não precisa de muita coisa para começar a navegar por essas águas.

Entregue-se ao personagem e vida que segue

Se é para fazer, faça direito. Sua experiência sadomasoquista jamais será a que você espera se você não estiver de corpo e alma nela. O personagem aqui não precisa ser de fato um personagem se não quiserem, mas de qualquer forma existirá um papel e estar comprometido com ele é fundamental. O prazer psicológico envolvido nisso é tão grande ou maior que o físico, então se as coisas não forem levadas a sério é muito mais difícil entender a graça. Se você vai dominar, não fraqueje. Se você vai infligir dor, não o faça com pena. Se você vai ser submisso, abaixe a cabeça.

Depois, no mundo lá fora, esqueça o personagem e deixe a vida seguir a mesma. Lembre-se que o que acontece entre quatro paredes não precisa significar nada para seu dia a dia e isso segue sendo verdade quando o assunto é sadomasoquismo. Passar por essas experiências, seja uma vez ou de maneira constante, não te torna uma pessoa menos ou mais violenta, mais ou menos capaz de se impor, mais ou menos coisa alguma.

Defina muito bem os limites e vontades

O que você quer com o sadomasoquismo? Só você sabe o que você quer experimentar e até onde você está disposto a ir e isso vale para todas as pessoas. Definir tudo isso é fundamental para evitar que algo que pode ser muito prazeroso torne-se traumatizante, constrangedor ou problemático de qualquer outra forma. É claro que, conforme as coisas forem acontecendo, tanto na primeira vez quanto com uma maior constância, suas vontades e limites podem mudar, mas isso é outra coisa. Não há problema nenhum em desistir ou se abrir para alguma coisa na última hora, mas ter um plano e um pacote de acordos antes vai tornar tudo mais fácil de qualquer forma.

E cuidado, as decisões vão muito além da famosa palavra de segurança. É claro que ela é importante, mas se tudo estiver bem acordado você pode nem precisar dela. Pelo menos nas primeiras vezes, saber o que esperar e ter algum tipo de controle sobre a situação pode ser fundamental, até para que você tenha a tranquilidade necessária e consiga se entregar ao momento.

Se nesse momento sua curiosidade ainda não se transformou em vontade, talvez sua resistência seja realmente acima da média. O que me faz pensar que talvez o sadomasoquismo seja o caminho ideal para você. Deixe a vergonha, o preconceito e qualquer outra bobeira que haja em sua mente de lado e acredite que errado é não se permitir. As dicas estão aí, o mundo é livre e quanto mais nós experimentamos mais chance temos de gostar de algo. Restou alguma dúvida? Que entender melhor o uso de algum produto? Deixe sua mensagem nos comentários, não deixe de viver o que você quer por achar que é coisa de cinema.

Depois dos 50 tons de cinza: como iniciar no Sadomasoquismo? was last modified: agosto 9th, 2019 by João
Category : Dicas
Tags :