bandeira da assexualidade

Entenda a assexualidade

Já há muito tempo orientação sexual é um assunto latente na sociedade. A assexualidade, no entanto, raramente recebe a mesma atenção que outras orientações. Por conta disso, não é nada incomum encontrarmos pessoas que não a entendem muito bem. Pior, encontrar pessoas que nem sabem do que se trata. Essa ignorância toda acerca do tema gera aqueles problemas que já conhecemos. Preconceito, discriminação, segregação social, desrespeito, etc. Se você não quer ser um reprodutor de tudo isso, informar-se é essencial. Por isso trazemos o guia fundamental para que você, de uma vez por todas, entenda a assexualidade.

O que é assexualidade?

A resposta básica é muito simples. Assexualidade é uma orientação sexual. Não é uma doença, uma condição psiquiátrica, uma deficiência, uma escolha, nada disso. É simplesmente parte de quem a pessoa é. Apesar de ser uma orientação sexual, no entanto, a assexualidade não define  gênero pelo qual uma pessoa se interessa. Mas falaremos mais disso no próximo tópico.

O que significa ser assexual, então? É simples. A pessoa assexual é aquela que não tem necessidade de manter relações sexuais. Essa é a única coisa que caracteriza essa orientação. Qualquer outra suposição feita acerca de um assexual com base em sua assexualidade é puro preconceito.

A assexualidade impede o amor?

Para responder, façamos outra pergunta: amor é só sexo? Pois bem, então a resposta é não. Pessoas assexuais podem se envolver emocionalmente tanto quanto qualquer outra. E, como falamos anteriormente, esse envolvimento pode seguir qualquer outra orientação sexual. Um assexual pode ser heterossexual, homossexual, bissexual, pansexual, etc. Da mesma forma, ser assexual também não diz nada a respeito do gênero. Homens, mulheres e não binários, sejam cis ou transgêneros, podem todos ser assexuais.

Tratar a assexualidade como algo que limite a capacidade de uma pessoa amar é um grande erro. Os prazeres e desprazeres de um envolvimento afetivo vão muito além do sexo. Eles são emocionais, psicológicos, sensoriais, espirituais para alguns. E, indo mais além, até mesmo a relação física é muito maior do que o sexo. O valor do abraço, do toque, da proximidade, tudo isso existe na assexualidade;

Qual a diferença entre assexuais e celibatários?

Um celibatário, diferentemente de um assexual, tem sim necessidades sexuais. Ele deixa de transar por escolha. Fazer a opção consciente de não fazer sexo é um direito de todos, mas é uma situação muito diferente. A assexualidade implica em algo totalmente diferente de uma escolha. A pessoa assexual simplesmente não deseja transar. Inclusive, uma pessoa assexual pode optar por fazer sexo mesmo sem ter a necessidade disso.

Existem diferentes tipos de assexualidade?

Não existem diferentes tipos de assexualidade. No entanto, isso não significa que todos os assexuais tenham a mesma relação com o sexo. Assim como nem todo heterossexual tem. Pessoas que se identificam na assexualidade podem manifestar essa característica de várias formas. Desde uma completa repulsa pelo ato sexual até um simples desinteresse. Muitos assexuais inclusive fazem sexo em determinadas situações, mas por motivos completamente diferentes dos de uma pessoa não assexual.

Há de se entender que a assexualidade não diz nada sobre uma pessoa além do fato de ela não ter necessidades sexuais. Sua relação com sexo, amor e relacionamentos segue tão possivelmente variada quanto a de qualquer outra pessoa. Da mesma forma, sua personalidade também não tem relação com a sexualidade. Assim como em todas as outras orientações.

Porque alguns assexuais transam e se masturbam?

Em resumo, porque eles têm esse direito. Eles certamente não farão isso por uma simples necessidade sexual. Mas, existem várias outras necessidades que podem levar alguém a querer transar ou masturbar-se. Para começo de conversa, o orgasmo não é simplesmente uma fonte de prazer. A liberação de hormônios gerada por um orgasmos pode trazer diversos benefícios físicos e psicológicos. Por exemplo, relaxamento, alívio de stress, melhora no humor e na disposição, etc.

Além disso, há ainda aspectos puramente emocionais. Alguém pode, por exemplo, acreditar que o sexo oferece um nível mais profundo de intimidade com alguém. Ou então querer viver essa experiência com alguém com quem tem uma ligação muito forte. Existem inúmeras possibilidades e nenhuma delas deve ser descartada. A assexualidade não é uma proibição.

Ficou claro? Não há mais desculpas para tratar assexualidade como algo incompreensível. O assunto é, na verdade, bastante simples. O que o torna complexo é o desrespeito, o preconceito e a falta de informação. Agora que você já entendeu, não deixe de continuar bem informado. Melhor ainda, que tal transmitir conhecimento? Compartilhe esse texto, envie para conhecidos, ajude na construção de uma sociedade mais bem informada.

Entenda a assexualidade was last modified: junho 10th, 2020 by João
Category : Geral
Tags :