relacionamento aberto

Relacionamento aberto: 8 dicas para ajudar

Relacionamento aberto é um dos temas mais polêmicos quando falamos de amor. Há quem diga que é apenas para casais que não se amam tanto. Outros acreditam que está puramente relacionado a desejo sexual. Tem ainda a turma do “todos os relacionamentos deviam ser abertos”. Mas será que existem mesmo regras para o que é e como lidar com essa ideia? Como tudo na vida, o relacionamento aberto é algo que pode significar coisas diferentes para cada um. Mas, novamente como tudo na vida, é claro que existem algumas dicas que funcionam para todos. Bateu a curiosidade? Quer saber mais sobre como fazer um relacionamento aberto funcionar? Então atenção aos conselhos do Aquelas Coisas.

1. Relacionamento aberto é para quem quer

A primeira e mais importante dica sobre relacionamento aberto é: só tenha um se realmente quiser. Muitas pessoas se veem nessa situação por cederem à vontade do parceiro(a). É claro que não é impossível que você mude de ideia e passe a gostar disso. Mas a maior possibilidade é que seja uma experiência frustrante. Se você não está disposta(o) a ter um relacionamento aberto, não tenha um. E se a pessoa de quem você gosta só está disposta a estar com você se for assim… talvez vocês devam seguir caminhos separados.

2. Mas por que você quer isso?

Se você quer um relacionamento aberto, ótimo. Mas você pensou bem no motivo pelo qual o quer? Há uma enorme lista de péssimas razões para embarcar nessa. Por exemplo: querer menos responsabilidade para com o outro; não ter certeza de que está apaixonado(a); medo de assumir um compromisso; falta de confiança no parceiro(a); reviver um relacionamento problemático etc. Esses motivos não são para ter um relacionamento aberto, mas para não ter um relacionamento.

A busca por um relacionamento aberto deve estar atrelada a outros desejos. Por exemplo: acreditar que o sentimento de posse da monogamia é prejudicial; não enxergar a ideia de estar com outra pessoa como algo que atrapalhe a relação; não estar disposto(a) a abrir mão de experiências que possam envolver beijar ou transar com outras pessoas; ter a vontade de continuar conhecendo pessoas em um nível mais íntimo apesar de estar bem com seu par; etc. Resumidamente, estar em um relacionamento aberto tem que ser algo que beneficie seu relacionamento atual. Não algo que prejudique e muito menos algo que tente salva-lo.

3. O combinado não sai caro

Talvez você queira um relacionamento aberto pelos motivos certos e seu parceiro(a) também. Mas será que vocês querem o mesmo relacionamento aberto? É preciso alinhar termos. Será que vocês podem ficar com pessoas um na frente do outro? Sexo também faz parte desse acordo? Vocês podem sair com outras pessoas ou é algo apenas para momentos espontâneos e não planejados? Amigos e conhecidos(as) estão valendo? Vocês vão falar sobre as pessoas com quem se relacionarem? Quando e onde essas relações vão acontecer? Existem diversos detalhes que precisam ser esclarecidos entre vocês. Afinal de contas, ninguém enxerga o mundo exatamente igual a ninguém. Se você não quer ter uma surpresa triste e nem machucar a pessoa de quem gosta, coloquem os pingos nos is.

4. Sem espaço para ciúme

Você está seguro(a) de sua vontade, o combinado esteá alinhado e a decisão foi tomada. Agora é hora de jogar o ciúme pela janela. Se você está em um relacionamento aberto, você já está ciente de tudo que pode acontecer. É claro que no início você pode sentir insegurança, possessividade e etc, mas você precisa saber que isso é algo a evitar. Lute contra os impulsos que não fazem parte da vida que você escolheu. Confie na solidez do sentimento que existe entre você e seu parte.

5. Relacionamento aberto não é competição

A insegurança não pode se transformar em ciúme e muito menos transformar o relacionamento em uma competição. Você não entra em um relacionamento aberto para ver que consegue ficar com mais pessoas. Nem para ver que aproveita mais. A ideia do relacionamento aberto é oferecer liberdade para que você não se limite. Não tem nada a ver com te estimular a correr atrás de outras pessoas. Até porque você não precisa dessas outras pessoas para te completarem. E, da mesma forma, se seu par está saindo mais do que você, isso não o faz mais ou menos feliz com você do que você com ele(a). Se alguma dessas coisas estiver nebulosa, converse novamente. Elas certamente levarão para uma rota de colapso.

6. Tape os ouvidos

As pessoas lá fora vão falar. Você precisa ter isso em mente. Nosso mundo é um lugar cheio de preconceitos, tabus, intrometidos e até mesmo maldade. Muita gente vai torcer o nariz, revirar os olhos e cochichar quando souber de sua escolha. Lembre-se que essas pessoas não fazem parte de seu relacionamento e que sua felicidade não depende delas. Elas não conhecem seu dia a dia, sua intimidade, seus pensamentos e seus sentimentos. É muito importante estar blindado e saber receber o que vem de fora com um filtro. Muita gente pode te ajudar a passar por esse momento, mas muita gente também pode atrapalhar.

7. Proteção é fundamental

Usar camisinha é importante sempre. Não adianta ficar procurando situações em que seja menos problemático deixar de usar. Isso é enganar a si mesmo(a) e correr riscos desnecessários. Em um relacionamento aberto, a importância é maior ainda. Quando você escolhe não usar camisinha para transar com alguém de fora da relação, você está expondo também seu par ao risco. E quando você escolhe não usar com a pessoa com a qual você tem o relacionamento, está expondo os outros com quem se envolverá. Use camisinha.

8. Relacionamento Aberto ou não, conversem sempre

A última e mais importante dica é: conversem sempre. Em todo relacionamento conversar é a melhor forma de garantir sintonia e alinhamento. No relacionamento aberto não é diferente. O combinado de vocês pode mudar. Algumas coisas que pareciam tranquilas podem se mostrar incômodas e vice-versa. É preciso entender se tudo o que vocês esperavam da relação realmente está acontecendo. Estejam abertos a redefinir o caminho e a escutar o outro. É claro que você não vai abrir mão de tudo que acha que é importante. Mas, se você quer que o relacionamento aberto funcione, é preciso ter flexibilidade.

Com essas dicas, o que parece complicado pode ficar muito mais fácil. Um relacionamento aberto obviamente não é como qualquer outro relacionamento. É preciso desconstruir muitas ideias e sentimentos que aprendemos a ter a vida toda para fazê-lo funcionar. Por outro lado, não é como se você precisasse matar um dragão. Com um pouco de sensatez, empatia, flexibilidade e muita conversa, não há porque não ser feliz assim. E, no caso de quem escolheu isso, provavelmente mais feliz do que em uma relação monogâmica.

Relacionamento aberto: 8 dicas para ajudar was last modified: Abril 7th, 2020 by João
Category : Geral
Tags :