Troca de casais: 7 Dicas para começar a fazer swing

Muitos casais por aí estão em busca de novas experiências sexuais. É óbvio que alguns deles se juntem nessa busca. Fazer swing (ou troca de casais), no entanto, não é tão simples quanto comprar um vibrador. Quando a novidade inclui outras pessoas, os detalhes a serem observados são bem mais numerosos. Por outro lado, quanto maior o risco, maior o ganho. Então, ao invés de desistir da ideia, prepare-se para aprender. Com as sete dicas do Aquelas Coisas, a bagunça vai ficar organizada e sua única preocupação será escolher as companhias.

1: Entenda o que é fazer swing

Antes de mais nada, é preciso entender bem onde você está se metendo. Swing é uma atividade sexual na qual dois ou mais casais se envolvem juntos em relações sexuais. Diferentemente de menages, orgias ou outros tipos de festas sexuais, o swing é realmente focado em casais. Assim sendo, solteiros(as) já podem começar a procurar companhia ou a abandonar a ideia.

ACOMPANHE NOSSO BLOG E RECEBA CUPONS DE DESCONTO E PROMOÇÕES

Ao contrário do que muitos pensam, nãoé necessário ir a uma casa de swing para fazer swing. Para isso, basta que os casais participantes transem juntos e troquem de parceiros entre si. As casas especializadas são interessantes por propiciarem um ambiente seguro e ajudarem na busca por casais desconhecidos que estejam interessados.

2: Não se envolva

E é importante que os interessados sejam desconhecidos. Fazer troca de casais com pessoas que fazem parte de seu cotidiano pode ser complicado demais. O envolvimento sexual pode derrubar algumas barreiras importantes ao dia a dia. Da mesma forma, tornar-se próximo das pessoas desconhecidas com quem você começou a fazer swing pode te fazer confundir as coisas. Tente manter as vidas separadas. Essa é a forma mais garantida de manter a brincadeira saudável.

Como dito acima, não é necessário ir a uma casa especializada. Mas dada a necessidade de evitar envolvimento, essa pode ser uma boa ideia. Esses ambientes são seguros e controlados e ainda ajudam na construção de um ambiente externo ao cotidiano. Se realmente preferir outra opção, existem sites feitos especialmente para isso. Eles são boas opções, mas cuidado com sua segurança. Evite ir a lugares privados demais ou receber estranhos em sua casa. Muitas pessoas se aproveitam da liberdade desse meio para explorarem fragilidades.

3: Mantenha a discrição

Se a ideia é não se envolver e manter a vida cotidiana apartada, discrição obviamente é fundamental. Muitas vezes a troca de casais é uma prática mantida em sigilo pelas pessoas. As razões podem ser inúmeras e, sejam elas boas ou ruins, cabe a você respeita-las. Nunca exponha um praticante de swing. E fique atento, um simples cumprimento em público sem contexto prévio pode ser suficiente para entregar o outro.

4: Evite comparar a experiência com o dia a dia

As pessoas conhecidas no swing devem ser mantidas fora de sua comum, certo? Pois o mesmo vale para a experiência em si. Evite comparar o que acontece durante uma troca de casais com o que acontece fora dela. Não compare seu parceiro(a) com parceiros de swing ou com ele mesmo ao fazer swing. Não compare o sexo. Nem mesmo compare o ambiente. Não compare nem sua própria personalidade. Lembre-se que essa é uma experiência muito específica e que não se pode esperar que nada do que acontece nela se repita na vida lá fora.

Uma boa dica para evitar esse problema é criar uma persona. Tente fazer com que você e seu parceiro(a) assumam outras identidades na hora da troca. Se for o caso, use até mesmo pseudônimos. Quanto maior o distanciamento melhor.

5: Ciúme não entra na troca de casais

Se você conseguir separar seu eu do swing do seu eu real, isso será mais fácil. Mas, não se engane, dificilmente tudo será tão simples. Livrar-se do ciúme é um trabalho necessário de todos e que se faz a cada dia. Quando se trata da troca de casais, a importância disso é ainda maior. O princípio básico de fazer swing é estar com uma pessoa em frente ao companheiro(a) dela e, da mesma forma, ver seu companheiro(a) com outra pessoa. Se você não for capaz de lidar com o ciúme, isso será absolutamente inviável.

Para facilitar esse ponto, algumas coisinhas podem ajudar. Uma delas é tentar manter o laço com seu par original mesmo durante as trocas. Um olhar, um toque, qualquer coisa pode ajudar a estabelecer um vínculo. O objetivo é deixar claro que o que está acontecendo não muda o fato de que vocês estão juntos. Outra boa ideia é falar sobre o que vocês esperam antes de irem ao encontro. Isso faz com que ambos comecem a se acostumar com o que vão ver antes do choque real.

6: Não tente salvar um relacionamento com swing

Ciúme atrapalha e quaisquer outros problemas de casal também. A dica padrão de todas as experiências sexuais também se aplica à troca de casais. Existem muitos bons motivos para procurar fazer swing, uma crise não é um deles. Você pode usar essa experiência para apimentar a vida sexual. Para satisfazer uma curiosidade. Atender a necessidade de transar com outras pessoas. Para reforçar laços de confiança e intimidade com seu parceiro(a). Mas você não pode usar o swing como último ato desesperado para manter alguém que não tem interesse por perto. Parece óbvio e de fato é: transar com outras pessoas não vai ajudar um casal que está se afastando.

7: Teste a água antes

A última dica é para você que, após ler tudo isso, decidiu dar o próximo passo. Esteja você muito confiante ou com muitas dúvidas, testar a água não trará nada de ruim. Considere visitar uma casa apenas como observador primeiro. Tente fazer swing em uma versão mais soft e não sexual, ficando com outras pessoas em uma festa ou algo do tipo. Conheçam outras pessoas que já façam troca de casais e conversem com elas. Enfim, façam o que puderem para simular a situação e saber mais sobre ela antes de mergulharem de cabeça.

Depois de tantos cuidados, pontos de atenção e dicas, chegou a parte boa: começar a fazer swing. É preciso reconhecer que começar em algo assim não é tão simples, mas, dada essa atenção, a troca de casais pode ser uma revolução em sua vida sexual. Você encontrará experiências e pessoas incríveis e seu relacionamento pode se tornar mais forte do que nunca. Então o que está esperando? Mãos a obra. Procure pessoas, faça seus testes e aproveite. Ah, e não se esqueça de dar uma passadinha no Aquelas Coisas antes do próximo encontro. O que já é divertido sempre pode ficar ainda melhor.

Troca de casais: 7 Dicas para começar a fazer swing was last modified: outubro 22nd, 2019 by João
Category : Geral
Tags :